Incentivo para a Transição

Minha gente querida!

Bem vindos aos que chegam no nosso cantinho, na nossa querida Crespolândia.
Puxem cadeira e simbora prosear!

Tem bastante tempo que recebo vários e-mails de crespinhas pedindo PELO-AMOR-DE-DEUS para ajudá-las na dura fase da transição.
Como são muitas resolvi criar esse post de incentivo, pra frente Brasil-il-il!

Vamos começar passando a credibilidade necessária. Muita gente nova na área e aí já viram, né? Quem é essa louca que posta sobre crespos e cacheados? Rá! Vem aqui.

Pois é... essa sou eu que já passei delícias com esse cabelo cheio de vida própria.
Vamos falar um pouco mais sobre essa fase pavorosa, que muitas temem, mas que sim!! Dá para vencer.


Questionamentos na Transição

É aquele momento em que você questiona se anda com um capacete na bolsa, uma touca de bandido, boné, qualquer coisa que segure o pobre. 
Sempre quando falo disso me lembro dos vídeos que postei aqui tempos atrás. Vale muito a pena assistir. Clique aqui para ver um e aqui para assistir o outro. São exemplos que nos incentivam a não desistir. A Rê Gontijo, que postei outro dia, é outra que está passando por essa fase. Ou seja, muitas estão passando também.

Já comentei muito sobre essa fase aqui no blog. É dureza mesmo, não vou mentir, mas com persistência, a vitória chega! YES! \o/

Acredito até que esse processo passa por uma prova psicológica forte, já que muitas saem do liso de progressiva para tentar achar seu cacheado. Sabe aquele cabelinho com pontinhas bem esticadinhas, que ilusoriamente não dava tanto trabalho assim? Pois então... vai começar a dar.
Aceitar essa mudança nem sempre é tranquilo porque muitas não querem cortar e ficam com aquelas pontas mega lisas e a raiz cacheada. Lembram da Clara

Então...O que precisa ser mudado é que a transição não vai rolar tal como uma ida ao salão para fazer um relaxamento, progressiva ou qualquer procedimento químico. Depois de 3 horas nada vai mudar. Ele precisa crescer. Para isso dependemos do tempo do nosso organismo trabalhar arduamente para os fios crescerem, você se acostumar com a ideia e principalmente ir se conhecendo.


Solução Mágica não Existe

Muitas e muitas e muitas e muitas que resolveram aderir ao natural ficam desesperadas, me escrevem pedindo uma solução. O bicho realmente começa a pegar, o desânimo começa a bater e aí o que posso dizer é o seguinte:

Hora de entoar o mantra PPD.

Paciência
Persistência
Disciplina

Paciência pela demora, Persistência pra não desistir e Disciplina para cuidar. 

Não adianta achar que tacar um creme no cabelo 1x por mês vai dar resultado. Não dá, bebê! Tem que cuidar mesmoooooo. Seguir o cronograma direitinho, se não for o cronograma, cuidar toda semana. Testar os produtos, ver o que dá certo e o que não. Conhecer o seu cabelo de verdade. O coitado sente sede, fome, estiramento, calor, frio, umidade, tudo isso. Tem que ir lá regar a plantinha, dar de papá ao Tamagoshi senão babau.

Hoje ter o domínio do meu cabelo (tá...na maior parte do tempo), saber como ele responde aos tratamentos faz toda a diferença no meu dia a dia. Demorei 2 longos anos pra chegar nesse resultado. Como disse outras vezes conto nos dedos de uma mão quantas vezes deixei de fazer um tratamento nesses dois anos de transição.


O que ajuda?

Não prender sempre - O que foi mais difícil na minha época de transição, que precisei me policiar muito, era não deixar o cabelo preso o tempo todo. A vontade era imeeeeensa, mas além de quebrar muito não favorecia a formação dos cachos. Porque não era um prender meio solto. Era um prender pra ficar com os olhinhos de japonesa. "Deusolivre" ter aquele volume mal definido no rabo de cavalo, não é? Desse jeito o cabelo começa a ficar estirado o que dificulta que o cacho apareça. Ainda mais hoje que o coque está em alta. Ele deforma o cabelo demais. 
Outra coisa é não prender molhado para não favorecer um ambiente para caspa e fungos.

Incentivar a formação dos cachos - Além das hidratações constantes, usar um bom creme para definir + amassar, amassar, amassar. Outra boa dica é fazer a torção, que ensinei aqui. (Lili, minha querida amiga, disse que ter aprendido a torção salvou a pátria dela e a libertou do secador. YES! :o). Outras técnicas para ajudar: fitagem, dedoliss (existem vários vídeos no Youtube explicando como fazer).

Conhecer a técnica no poo e low poo - Nunca fiz, mas falam maravilhas. Quero muito um dia ter disciplina para seguir. As técnicas consistem em usar produtos que não contenham algumas substâncias agressivas ao cabelo. Existe uma lista de produtos liberados. Quem entende muito dessas técnicas é o Ronaldo do blog Liberte os Cachos. Vale muito a visita. Ele é um querido que estuda muito sobre o assunto e, com muita generosidade, passa o que sabe pra gente. Aprendi muita coisa com o Ronaldo. Visitem! 

Ler muito sobre o assunto - Durante o tempo que resolvi encarar a transição, minha leitura obrigatória era a Comunidade dos Cabelos Cacheados no falido Orkut. Tenho minha conta até hoje lá sendo esse um dos motivos de mantê-la. Abri um post anos atrás perguntando as meninas se rolava ter cabelo cacheado sem relaxamento. Muito incentivo, muitas dicas, muitas partilhas lá. Uma escola incrível que foi pra mim aquela comunidade. Comecei a compreender, a testar com as dicas de lá.
Tem vários blogs e sites falando sobre o assunto. 


Resumindo, crespinhas: Foco + foco + foco!

Entenda que você não está sozinha nessa, companheira! Muitas estão, já pegaram e ainda vão pegar esse barco. :o)

Aproveitando o assunto, gostaria de abrir esse espaço aqui para mais casos de sucesso de transição para quem quiser participar. Acho que é uma forma de ajudar quem está nessa caminhada.

Pensei no seguinte...Como meu tempo não está uma maravilha, acho que se cada uma contribuir com 01 dica (como o exemplo acima: Não prender sempre + o texto pequeno) com uma foto de antes e  uma depois vale a pena, hein? ;o)

Já deixo aqui o aviso que se mandar foto é porque você está me autorizando a publicar, tá? Ueban!!

Manda pra eusoucrespablog@gmail.com


Beijos!!


E o sorteio? Já se inscreveu? Vem!!! 



Compartilhe:

Sobre a Crespa

Claudia Montelage é cantora, botafoguense, libriana, sócia da Dois Versos e desde de 2012 pilota o blog "Eu Sou Crespa". Resenhas, tendências, transição, indicação de salões e profissionais, exemplos reais, aceitação e valorização do cabelo natural fazem parte dos temas abordados nesse espaço dedicado aos cabelos crespos e cacheados.!