Ajudinha na Transição - Torção

Ô fase esquisita, que não ajuda, que causa pânico, depressão, desperta a ira, que cusssssssssta a passar, essa tal de transição, não é?
Calma... tudo nessa vida tem um remédio, uma simpatia, um tranco pra jogar pra frente.

Cola ni-mim que vocês vão se dar bem. \o/

Sim, já passei por isso, lembram? Vejam como, aqui.
Entendo do enredo e na época não conhecia nada, além do baby-liss para tapear um pouco a situação caótica. Ficava o ó, mas eu acreditava que estava melhor. Um levante para a auto estima.

Hoje existem mil informações por aí pra gente dar um chute na tristeza nessa fase e partir pra dentro!

Bom... 
Nada como ter exemplos para mostrar. Esse é molinho de fazer, não é novidade no universo das cacheadas. 
Para testar o experimento, e para o povo não achar que é marmelada por meu cabelo já ser cacheado (hohoho), recrutei uma cobaia, que disse pra colocar aquela cara quadriculada para não revelar a identidade secreta...a-hãn! 

No caso, a cobaia é a minha irmã. Plim! 
Ops, era pra ser secreto. :o)))

Aquela, sabe? Dos produtos IN-CRÍ-VEIS no box. Pois bem. 
Sim, ela voltou para a fase da transição pela milésima vez. Gosta de entrar na fila do estrago capilar.
Já falei gente... já orientei, já pedi pra mãe intervir, já fiz promessa, mas sabem como é. Dependente química capilar. A que acredita que essa é a salvação. Ela cisma que o cabelo dela é pior do que o meu, que o dela não tem jeito, blá-blá-blá... papo de quem quer justificar aquela escova INACRÊ que lançaram. Sei...
Só que um dia ainda vão acreditar no que eu digo. Qualquer transformação química precisa de manutenção, ou seja, vai ter que cuidar de qualquer jeito. Senão o coitado fica seco que só.

Mas vamos ao experimento.
Minha irmã tem o cabelo mais grosso que o meu, o cacheado um pouco mais largo também. Na classificação dos tipos de cabelo, ela fica no 3B. Eu já fico na mistura do 3B com 3C.

Como ela disse que estava firme nas hidratações, usei o Kit que ganhei da marca Macadamia pra fazer uma nutrição. 

Para finalizar, dividi como faço sempre. Usei um cheirinho do óleo do kit para dar um brilho (bem pouquinho), mais um tantinho do leave-in do kit e uma pitada a mais de Curlesque, já que a intenção é ajudar na definição.

Minha cobaia muito amada! ;o)
O cabelo da minha irmã está assim. Esticado no comprimento. Ele seco fica com algumas partes, mais para as pontas, que enrolam e o resto todo fica esse liso nada natural.
Para amenizar, não dá para cachear com essa técnica, mas ela ajuda o cabelo a formar ondas e amenizar um pouco o aspecto esticado.

Vamos lá!
A torção é a seguinte: separe duas mechas do cabelo, na espessura que você quiser e vá torcendo, enrolando. A aparência é de uma corda, aquelas de sisal, saca?

Não é que parece mesmo? :o)

O bizú é só enrolar mesmo. O cabelo segura sozinho. Se for muito grossa a espessura, não vai segurar. Tem que ir testando pra ver qual rola de fazer. Pode vir desde a raíz, como pode fazer da metade para baixo.


Fiz grossas, não partindo bem da raíz. Deixei uns dois dedos. Dividi toscamente porque ela tinha hora para ir embora. Não deu para fazer algo suuuuuuuuuuuper direitinho.
Ajudei a acelerar o processo com o secador com difusor. Mas quem tiver tempo, pode deixar secar ao natural.


A medida que vai secando, o cabelo vai ficando mais gordinho. Vá apertando nos meios para sentir se secou bem.
E aí depois de seco é só desenrolar e dar uma soltada.
Fiz aqui duas versões sem e com flash.

Resultado sem flash.
Resultado com flash.

A irmã adorou o resultado. E olha que nem deu pra fazer algo 100%.
Para quem está na fase de transição, vale a pena experimentar.
Fica a dica! ;o)

Beijos!



Compartilhe:

Sobre a Crespa

Claudia Montelage é cantora, botafoguense, libriana, sócia da Dois Versos e desde de 2012 pilota o blog "Eu Sou Crespa". Resenhas, tendências, transição, indicação de salões e profissionais, exemplos reais, aceitação e valorização do cabelo natural fazem parte dos temas abordados nesse espaço dedicado aos cabelos crespos e cacheados.!