Transição para a Liberdade

Bom diaaaaaaaaaaaaaannnnnnnnnnsssssssssss!!

E aí, pessoas queridas? Tudo na positividade?

Essa semana duas amigas queridas me enviaram o link de um vídeo publicado no site do jornal americano New York Times. Lembrança fofa da minha pessoa e claro! O link é por causa do blog. Como não compartilhar com vocês?

Lembram do vídeo que já vimos por aqui

Muitas crespinhas me perguntam quando enfim acaba a transição, como é a expectativa do grande dia da libertação chegar e tantas outras dúvidas. A minha transição durou 2 anos e você pode ver aqui. A da Clara, que mostrei pra vocês, ainda está rolando. Veja aqui

Tem pessoas que demoram mais, outra menos, dependendo da disposição para desapegar do cabelo longo que carrega os anos e anos de química. É preciso coragem antes de tudo. Depois muita disposição, por fim paciência master!

Pra quem consegue desapegar do comprimento maior o processo chega a ser mais rápido, mas nada de 3 meses. São meses, anos. É uma decisão difícil. Tem gente que não aguenta, tem gente que vai reclamando o processo todo, tem gente que vai com mais humor até chegar ao final. E tem gente, que mesmo depois do grande esforço, volta pra química. 
É descoberta, é entender o que quer e até onde você tem disposição pra mudar. Cabelo crespo, cacheado, não é o mais fácil para cuidar. Tem que amar, gostar, curtir.

Eu curto muito. Não troco meu cabelo de hoje por nenhuma época antiga. Mas me identifico com ele assim. Gosto, brigo, conserto, xingo, me surpreendo, temos uma relação bem saudável...hehehehe.

E para quem não acha que fica legal, não curte, não se identifica, respeite. Como sempre falei, não sou contra químicas. Sou a favor da pessoa se sentir bem. Mas se em algum dia puder ter a oportunidade de conhecer o seu cacheado, crespo, vá fundo. Às vezes vale a pena conhecer.

Reprodução

O vídeo da matéria do New York Times fala da transição de várias mulheres negras que resolveram se libertar das químicas, dos padrões impostos pela sociedade, bancar o estilo que nasceram e mostrar que ele é sim! Bonito por natureza.

Não precisa entender inglês para compreender a mensagem.
Certas linguagens são universais.

Para ver o vídeo, clique aqui.


Beijos!

Compartilhe:

Sobre a Crespa

Claudia Montelage é cantora, botafoguense, libriana, sócia da Dois Versos e desde de 2012 pilota o blog "Eu Sou Crespa". Resenhas, tendências, transição, indicação de salões e profissionais, exemplos reais, aceitação e valorização do cabelo natural fazem parte dos temas abordados nesse espaço dedicado aos cabelos crespos e cacheados.!

8 comentários:

  1. Legal o vídeo! Eu tenho uma foto da minha transição em que seguro um cacho metade sem química metade com relaxamento:quanta diferença! ... Ok, eu não cuidava tanto quanto agora dele quando relaxava, confesso..rs
    Mas sinceramente, eu não sou contra a química não, viu? Poxa, tem japonesa de cabelo loiro, loira que escurece e por aí vai. E tudo isso muda a característica original da pessoa.
    Pra mim, o grande problema é que os cabelos crespos sejam vistos como algo ruim, como algo NATURALMENTE NÃO BONITO. Vamos combinar que até pouco tempo atrás praticamente não tínhamos produtos pros nossos cabelos, bem sabemos como sofríamos...rs
    O que eu quero dizer com tudo isso é que não devemos nos proteger do preconceito que alguns tem com nossos cabelos nos tornando preconceituosas com quem decidiu modificar o seu, mas mostrar que o cabelo natural também é uma boa opção!

    ResponderExcluir
  2. Uau, não tinha visto o vídeo... adorei.
    Ai, não vejo a hora do meu belo ficar natural e eu liberta-lo de vez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que ter paciência Danee.
      Respira e vai! ;o)
      Bjs!

      Excluir
  3. Nunca vivi transições! Mas adoro elas! E esse negócio que cabelo crespo dá mais trabalho que alisar é mentira... A galera vira escrava, tem que ficar fazendo escova... Se for pelo trabalho, vou te dizer que acho muito mais prazeroso cuidar dos cachinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... concordo contigo. Acho que todos os tipos de cabelo precisam de cuidado. Mas existe essa ideia de que é mais fácil cuidar dos alisados. Fazer o que? rs
      Beijos!

      Excluir
  4. Verdade tem q amar seu cabelo.Hj tenho 2 anos e 2 meses sem química e ñ acabei ainda minha transição pq ñ decidi cortar tudo e deixar na altura do pescoço, porém as pontas q ainda tem química se camuflam bem no meio do natural. Nunca pensei q fosse amar meu cabelo assim, descobri a beleza dos meus cachos na comunidade "cabelos cacheados" lá, aprendi a fazer fitagem q é o grande segredo p manter os cachos domados e bonitos o dia inteiro. Hj ñ tem um dia q ñ receba um elogio sem contar c as pessoas q me param na rua p me perguntarem o q faço p ter cachos tão definidos, vejo q com isso posso ajudar outras meninas a amarem seus cachos. E tbm quando vou passando e escuto comentários: Olha como o cabelo dessa menina é lindo! Nossa! me enche de orgulho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é tudo, Damiana?
      Ahhh, menina... tem preço não.
      Vale a pena!
      Bjs e parabéns pra vc!

      Excluir

Obrigada por participar!
Em breve seu comentário será publicado.