Entrevista com a Terapeuta Capilar Cíntia Araújo - a Cintilante (Parte 1)

Cintilante, querida Cíntia Araújo é dessas pessoas que você adora no primeiro contato. Considero minha fada madrinha porque dentro do universo de salões e cabeleireiros que já me aventurei, ela foi a única a me dizer que não precisava usar químicas. Que precisava sim cuidar do meu cabelo.

E assim foi.
Falo dela na minha história capilar aqui

Além de cabeleireira, é super terapeuta capilar que cuida dos cabelos de muitas famosas em um dos salões mais tops do Rio de Janeiro, o Care Body & Soul

Essa pessoa linda, de coração grande, topou de tempos em tempos, dar umas dicas aqui no blog para gente. Uma grande honra ela ter aceitado né, não? Eu só tenho a agradecer. 

Foi um encontro maravilhoso, com direito a colocar os papos em dia, rir bastante com as histórias dela nessa entrevista, e isso tudo acompanhadas da nossa amiga Júlia Sampaio, que nos apresentou naquele inesquecível carnaval da Bahia. :o)

Com vocês, 


#cintilante


Cíntia Araújo


Eu Sou Crespa Conte um pouquinho da sua história, bonita.
Cíntia Eu tinha um sonho desde pequena de ser cabeleireira. Com 17 para 18 anos fui morar sozinha e as contas para pagar me impediam de realizar o sonho. Queria sempre sair do emprego onde estava pra cuidar de cabelos. Um dia reencontrei um amigo que estava namorando um cabeleireiro. Contei pra ele da minha vontade de ser cabeleireira e ele disse que podia me ajudar mas não acreditei.

Nessa época vendia velas em feiras como Babilônia Feira Hype. Era muito sacrifício porque tinha que carregar tudo, uma grande quantidade para cada local de venda. Acabei saindo.
Um dia resolvi fazer um curso de designer de joias e comentei com uma amiga. Ela acabou se oferecendo a pagar o curso. Encontrei com o dono do salão que havia conversado dias atrás e contei que faria o curso. Ele, não entendendo nada, me perguntou: Mas você não queria ser cabeleireira? Eu disse sim, mas que seria um sonho distante, que demoraria acontecer, que havia ganho o curso de uma área que também curtia. Aí ele me disse: Pensa bem, Cíntia! Até você fazer o curso, vender seu trabalho, ser uma pessoa conhecida, ter dinheiro pra comprar ouro, até fazer sua coleção, você já tá passando fome. E eu pensei... poxa, como esse cara é suuuuper otimista, pra cima! 

Ele se ofereceu a ajudar. Só que ele era muito novo e não acreditava que ele iria se lembrar de mim depois desse papo.  Um dia a secretária dele ligou dizendo que tinha uma vaga para recepcionista. Peguei o cheque da amiga que ia pagar o outro curso e me matriculei no Senac. O Thiago, que era dono do salão, mas que não era cabeleireiro, acabou se matriculando junto.

Pela minha orientação religiosa, sempre recebi a indicação que seria uma pessoa de cura, que trabalharia com recuperação. Eu já tinha sido instrumentadora cirúrgica, mas não durou muito porque no primeiro parto que trabalhei, caí no choro na sala de parto, emocionada e contaminei tudo, o médico mandou sair. 
Só que não entendia como iria me encaixar como cabeleireira nessa missão da cura.

No curso conheci uma grande amiga que me ajudou muito. A Carol era na época executiva da Wella e abriu muitas portas pra mim, junto com o Tiago Parente que me deu a oportunidade de estar no salão.
Fiz o curso, me formei e as professoras falavam que eu me destacaria na profissão. Sempre fui muito comunicativa e vendedora nata. Deixei de vender os produtos dos outros para vender o meu conhecimento.

Quando comecei tinha 28 anos. Era considerada velha para a profissão, mas não me deixei influenciar. Tinha como objetivo maior me sustentar com isso e sabia que iria conseguir. Quando me formei não me interessava em serviços de beleza como corte, luzes, alisamentos e sim com a saúde. Me importava mais com qual problema essa cliente tinha do que qual desejo ela tinha de beleza.

Muitas vezes pego uma cliente que está com o cabelo tombado e ela diz que perguntou ao cabeleireiro se podia fazer aquele procedimento, aquela química. Cabeleireiro, designer, truqueleireiro, qualquer porta você acha um desses. Eles nem sempre querem saber se o cabelo da cliente tem pó, tem formol, tem guanidina, se tem lítio, se tem hidróxido, se tem amônia. É o seu pedido. Ele está ali para realizar o seu pedido. Se você vai sair loira com 03 fios, pelo menos serão 03 fios lisos. Ninguém quer ser lisa e morena. Tem que ser lisa e loira. É o mal da humanidade. E para ser liso e ser loira você tem que ter dinheiro. Antes de ter essa beleza, você tem que ter um bom banco. Quem é belo não vai atrás da beleza. E muitas vezes você vê uma pessoa sem água na geladeira mas com um produto da Sebastian pra usar. :o)

Comecei como auxiliar de um grande colorista que me ensinou muito, muito, muito. Principalmente o que não fazer.  Porque ele é um colorista que realiza qualquer pedido seu. Se está preto e quer sair loira no mesmo dia, ele vai realizar. Se é loira e quiser ser ruiva vai realizar. E não vai fazer uma reposição de pigmentos, uma reposição de colágeno. Não sabe nem do que você está falando. A gerente falava “Ela acabou de sair do Senac. Daqui a pouco passa”. Mas ela mesmo não sentava na cadeira de ninguém. Só na minha.

E o tratamento foi ganhando espaço na minha vida. Quando eu ia me especializar em corte já estava cuidando de um couro com problema. Eu ia me especializar em luzes, que é um serviço que sou frustrada por não fazer, não por falta de capacidade, mas não rolou por falta de tempo. 

O tratamento te toma muito tempo, envolve muitas pessoas, precisa fazer um rodízio. Enquanto uma está no creme, a outra está no shampoo, a outra no condicionador, outra no reconstrutor. É uma cadeia tipo Mc Donalds.

Eu comecei com uma auxiliar e hoje tenho 03. É um número bom porque dá para tomar conta e eles sabem exatamente o que eu quero.

Eu Sou Crespa E aí você acabou se firmando no tratamento.
Cíntia A história do tratamento é porque eu trabalhava no Fashion Clinic, onde comecei e eles eram muito voltados para o alisamento. Tinha uma que fazia o relaxamento, outra permanente afro, tanto é que eu só confio em duas pessoas no Rio de Janeiro que fazem permanente afro, uma é a Beth Drumond. Ela é crânio! Baixinha, loira, que ninguém diz que ela domina cabelo negróides, cabelo com mais sensibilidade. Todo mundo acha que o cabelo crespo tem que tomar surra. Muito pelo contrário. Ele tem que ser muito bem tratado porque ele reclama. Não é com surra que ele vai melhorar, entendeu? É com carinho. E a outra que confio é a Naísa, que me emociono em falar  porque ela tinha 03 clientes e dividia essas três clientes comigo. Ela é meu anjo. 

E assim fui indo, fui conquistando. Pra você cuidar do cabelo, você precisa cuidar primeiro da saúde dessa pele porque o cabelo não nasce do concreto. Ele nasce de dentro de você. Então não adianta você não estar bem, estar com anemia, com disfunção na tireoide, com micropolicistos, com problema de pâncreas, de baço, de fígado e querendo beleza no cabelo. Essa beleza vai vir se você se cuidar. Isso tudo que citei, reflete no cabelo...

É o seu sistema nervoso que comanda. Se você usa antidepressivo, se você toma remédio para emagrecer, calmante, muito remédio pra dor de cabeça. Um remedinho não vai cuidar apenas da sua dor. Ele vai estragar outras coisas e isso fui estudando. Quando me formei em cabeleireira no Senac fui fazer outras academias. Fiz Phyto, fiz muito Sebastian graças a Carol, a minha amiga que fez diferença na minha vida. Não posso nunca falar de cabelo sem falar dela. Que me dava muita força, me dava produtos. Ela falava:  “amiga não tem pra ninguém. É você e é a sua hora". 
Fiz academia da Keune, da Wella,  fiz um treinamento com o pessoal da Nioxin. Eu uso muito Kérastase  no couro cabeludo mas o meu detox é feito com Nioxin. Não tem no Brasil e por isso, enquanto o povo pede óculos de madame, eu peço pra todo mundo que vai pra fora Nioxin. Quando eu vou pra fora trago muitos também.

Acredito que a saúde do cabelo está voltada para o couro. Não existe um cabelo bonito se o couro não está sadio. Se você passa a sua unha e não vem aquela crosta. O cabelo é igual ao que está no seu braço. Se o seu braço está cheio de células mortas você não vai ter aquele pelinho bonito pra arrepiar. Mesma coisa o cabelo. Você pode ter fungo, ter bactérias porque é a nossa defesa, mas você não pode ter ilhas disso. Porque cabelo crespo, o que a pessoa acha? Quer molhar. 
Tá seco? Põe água. Não! Tá seco você tem que colocar um bom leave-in, fazer uma boa finalização. Muita gente fala, "meu cabelo é uma m... que saco". E eu pergunto: o que você faz por ele? Nada. O cabelo também é sensorial. Se você mima, ele vai te responder. Se você dá tapa, ele também vai te responder. Vai ficar mais rebelde ainda. Não existe “eu tive a sorte de ter esse cabelo”. Até o da Cléo Pires dá trabalho pra ela.


#muitainformaçãoparaumfimdenoite

Eu Sou Crespa Você acha que o estresse influencia?
Cíntia O estresse influencia totalmente na condição desse fio. Total! O cabelo é sensorial. Ele é o seu estado de espírito. O dia da sua festa é o dia que ele mais te estressa porque você já pensou em tudo. Depois que você vai pensar nele.
Eu Sou Crespa É verdade...
Cíntia Então ele vai e te gonga! :o)
Eu Sou Crespa Eu vejo isso quando tenho show... tem dias que senhooorrr! 

Eu Sou Crespa Uma dúvida que muitas meninas têm e que fiquei na curiosidade de saber também. Você vai fazer uma hidratação, utilizar uma máscara. Você vai passar o shampoo, aquela lavagem de duas vezes. Daí você passa o condicionador ou a máscara primeiro?
Cíntia A máscara. Ela tem o PH pra hidratar esse cabelo e o condicionador tem o PH para voltar esse cabelo para o PH normal. A máscara tem o PH abaixo do seu cabelo normal. A mulher é de 4 a 4,5 e o homem de 4,5 a 5 às vezes. Não tão certo. Então com a máscara vai pra 3, pra 2,5. Aí tem aquele que fala “ah, essa máscara é incrível”. Ela é super ácida. Ela é pra isso. Se não for pra isso, ela não serve. E o condicionador é pra voltar para a forma normal do seu cabelo.
Agora, não existe esse papo de 2 shampoos. Eu não sou autoditada gata, estudei pra isso. Não existe 2 shampoos. É a necessidade que você tem de passar. Você vai passar 1 pra tirar a gordura e o leave-in. “Ah, fiquei 04 dias sem lavar”. Eu lavo 4 vezes.

Eu Sou Crespa É mesmo????????? – muitas interrogações
Cíntia Não existe isso eu lavei uma e duas. Não está lavado. É mentira. O primeiro shampoo não deu espuma nenhuma, o segunda já tá limpo? Não está limpo. Às vezes a cliente fala, “o Pedro* passou um shampoo, o Fernando* outro shampoo, a Priscila* outro”  (*assistentes). E eu digo: vou passar o quarto. "Mas por que?" Porque se tivesse limpinho eu só passava 1. Tá sujo.

Eu Sou Crespa Caramba...Mas esse processo você não pode fazer todos os dias.
Cíntia Não... Um cabelo oleoso, que tem a necessidade de ser lavado todo dia, a pessoa não pode lavar muito rápido. Ela tem que pausar esse shampoo. Você não coloca um Omo na roupa e tira. Ele vai pra máquina, faz a primeira lavagem, a segunda lavagem, ele fica de molho. Cabelo você não vai deixar de molho, mas você tem lavar. É aplicar o shampoo no couro cabeludo.
Aí você fala: “Ah, Cíntia, mas meu cabelo dá trabalho, vai gastar muito”. Usa um tabajara (leia-se qualquer um :o) nesse primeiro shampoo, um mediano no segundo e o top no terceiro.

Eu Sou Crespa Nunca imaginei... E não tem problema misturar?
Cíntia Não. É igual comida. Quando você come, não mistura tudo? 
Você só não vai misturar um shampoo pra cabelo oleoso, com outro pra seco. Se seu cabelo é crespo, você vai usar para cabelo seco, pra redução de volume. Você vai usar aquele produto que tem os princípios ativos para modelar o seu cacho, pra melhorar o frizz. Eu não trabalho com rótulo de shampoo da frente. Eu trabalho com a parte de trás. Se ele tem propil, “Ah, mas você acabou de fazer uma química, não usa shampoo sem sal”. Gente, e antes quando tinha sal você lavava com o que? Com açúcar? :o)

Eu Sou Crespa Você acha que não tem diferença?
Cíntia Nenhuma. O que eu não gosto de fazer é usar um shampoo que não tem parabeno e colocar depois outro que tem. Porque quando eu for condicionar esse cabelo, se ele estiver saindo de uma hidratação, ele vai estar com a cutícula toda aberta. Se colocar um condicionador com parabeno, o cabelo vai trincar. Aí vou ter que tirar esse condicionador, passar outro shampoo pra ele voltar pro PH dele normal. É uma manobrinha que dá trabalho. A pessoa fala: “Ah um dia sinto o cabelo gostoso e outro dia não”. É porque você não desceu com esse PH. O cabelo está elétrico.

Eu trabalho com PH. Eu não trabalho com a marca de fulano de tal. Por exemplo, Kérastase não trabalha com shampoo de limpeza profunda. Eles não acreditam nesse produto e eu não faço tratamento sem shampoo de limpeza profunda. Gente, se eu quero desestabilizar esse PH, se eu quero causar atrito na cutícula do cabelo como faço? Vou causar com que? Com carinho? É o meu método de trabalho. Vão ter várias pessoas que vão achar que é o "Uou, Uou, Uou" e vão ter pessoas que vão falar: "ih, ela tá maluca." Mas eu estou há 10 anos maluca e muito bem sucedida.   Trabalho com pobre e milionário. Pra mim não importa a bolsa que você vai chegar no salão. Importa o problema que você tem no seu cabelo. Eu não lido com sobrenome. Eu lido com problema capilares.

Ó, não existe isso, pelo amor de Deus!!! Você não é a primeira pessoa que me pergunta isso. 
Como que você vai hidratar o cabelo se você vai condicionar. E depois você passa o que? Baba de calango? Saliva de Cristo? :o)))
Ou então você vai lavar e condicionar. "Ah, eu tenho 5 minutinho pra dar um tratamento, fazer uma hidratação, eu vou usar um shampoo anti resíduos em casa". Eu não aconselho. Porque pode dar tudo muito certo ou tudo muito errado. Porque esses shampoos são para uso profissional. Existem as cabeleireiras de plantão, mas pelo menos ela tem que conhecer o cabelo dela. Não dizer “eu usei aquele produto e não foi bom”. Não foi bom porque ela não soube usar. Eu canso de pegar clientes que vem com uma bolsa de produtos e diz que é tudo pra mim. Ô, glória! :o)
Ela não sabe usar. O que adianta? A pessoa fala que compra um monte de produtos e que não dá certo. Se desse certo eu abria uma revenda. Estaria em casa. 

Eu Sou Crespa Você acha que a pessoa consegue se tratar em casa?
Cíntia Acho. Hoje em dia só não trata em casa quem não passa nas minhas mãos. - pausa para muitas gargalhadas..kkkkkk
É aquilo, muitas vezes você tá falando com a cliente: fulana, e ela tá folheando revista. Na hora que ela vai embora que ela quer explicação. Aí eu falo, semana que vem quando você voltar eu explico. Enquanto ela não largar a revista, ela não vai aprender. Porque shampoo não é no fio, shampoo é no couro. O que se lava é couro, o couro é pele. O couro se você beliscar, você sente dor, cabelo não. Só sente dor se você puxar. O cabelo é uma ligação sanguínea. Tem derme, epiderme, hipoderme, tem toooda essa ligação. 
Existe no bulbo, músculo eretor, glândula sebácea, sudorípara, então tem um mundo pra ser conhecido antes do cabelo. O cabelo é a sua proteção. Nada mais é do que a proteção do seu couro. Se você tomar um tombo, ele vai amortecer o seu tombo. Se você for na praia ele não deixa  queimar seu couro cabeludo. O cabelo é pra isso. A gente que trouxe beleza pra isso. E não é pra botar chapéu. A gente que bota. 
Então a pessoa a esquece. “Ah eu tenho o cabelo seco, vou no banheiro e dou uma lavada e saio”. Ah, é? Continua, vou ficar rica. :o) :o) :o)
Como você não vai dar uma pausa nesse shampoo? “Ah, eu condiciono meu cabelo da orelha pra baixo”. E o restante do cabelo de cima? Você faz o que? Fica duro? Você não pode deixar o condicionador agindo no seu couro, mas ele é pra passar no cabelo todo.
O shampoo, ou a pessoa despeja o vidro na cabeça ou a última que eu li num blog que depois te dou o nome: “Dilua o seu shampoo com água”. Não, gata. Qual foi o fabricante que ensinou isso pra ela? Eu, muito catimbeira, entrei no blog e esculachei. :o) :o) :o)


Eu Sou Crespa Ah, meu Deus...kkkkk
Cíntia Dei-lhe uma chibatada. Quase roubei todas as seguidoras do blog. Todas queriam saber a minha resposta. Não respondi ninguém.
Diluir shampoo, diluir creme, jamais. Se ele é caro, você usa 3 tabajaras e ele no final, mas não vai diluir nada. De farmácia, “Ah Cíntia, não tenho dinheiro pra comprar”. Pelo menos escolha uma farmácia que seja voltada para cuidado de cabelo porque pra comprar essas marcas de comerciais, deixa o cabelo do jeito que está porque vai piorar. Vai piorar gordura. Pra isso você vai ter que ter um cuidado maior. Pra isso que ele se propõe. Ela vai condicionar. Mudar o seu cabelo não vai. Melhorar, só melhora a conta da Gisele porque nada vai acontecer. 


Eu Sou Crespa E o shampoo tem esse poder de mudar?
Cíntia Ele tem esse poder de mudar, assim como o condicionador. Mas pra que ele possa mudar, a sua higiene tem que acontecer. Porque esse couro tem que estar respirando. Essas células mortas não podem estar ali. A quantidade de fungos também não e muito menos bactérias. Tem que ser uma coisa equilibrada. Não você colocar no scanner e ter uma ilha. Você olha e tem uma família morando.

Eu Sou Crespa E qual a frequência que você acha que tem ser essa lavagem na semana?
Cíntia Eu gosto de tipo lavou hoje, dá 48, 72 horas. Tem cliente que chega com 1 semana sem lavar. Pergunto logo, “gata, então vou ter que dar 7 shampoos em você”?
Você lava o cabelo hoje. Ele tá incrível, amanhã tá legal, no outro dia ele já está chumbado. Aí você vai ter que ser criativa. Botar uma presilhinha, um turbante, um arco, uma faixa... o cabelo crespo, ele dá trabalho. Ele não é o cabelo lavei, saí ao vento. Nem todo pano é cetim, né gente? Tem os linhos também. :o)


E é tecido, é a sua fibra, é o que nasce de você. Se a sua alimentação não é boa, não tem como nascer orquídea onde só tem grama. É o dia a dia.

Eu Sou Crespa E como lavar?
Cíntia Aí, vamos lá: coloco o shampoo na palma da mão, espalho em cada pedacinho do couro, vou fazer uma massagem circular, nunca com as unhas, sempre com as pontas dos dedos, vou massagear, massagear, massagear, deixar esse shampoo crescer, vou tirar. Aí talhou. Não deu espuma. Isso já está te dizendo. Igual uma panela com gordura. Você vai colocar um sabãozinho. Esse sabão vai talhar, a gordura não vai sair. E assim você dá o segundo, dá o terceiro se for preciso.

Lava a cada 2 dias? Dá 2.

Lava a cada 3 dias? Dá 3.

Um dia sim, um dia não? Dá 2.

O primeiro shampoo é pra tirar poeira, a gordura da sua mão que vai pro cabelo e a gente gosta de colocar a mão e acha que nada está acontecendo. No final do dia o cabelo está todo oleoso. A sua mão cheia de bactérias, de fungo e tudo. Você tá só levando pros fios.

Pra toda cliente eu falo: a sua toalha do corpo não é a toalha do seu cabelo. Porque quando você vai secar teu corpo e já secou o cabelo, você já vai negociar com o cabelo. Você não vai secar o cabelo do jeito que tem que secar porque não vai querer a toalha toda molhada no corpo. E você não tem que levar as células mortas do seu corpo para o seu cabelo. Então tenha uma toalha pro seu cabelo. Essa toalha, na hora que você for passar o seu creme lá no banho, você não vai passar o seu creme caríssimo com o cabelo todo molhado. Você vai tirar o excesso de água com a toalha, passar o creme mechinha a mechinha, pentear com pente largo ou com pente fino se tiver habilidade, ou com aquela escovinha do vovô, de plástico. Essa que é a boa pro nosso cabelo porque não vai quebrar, não vai esticar.

“Ah, Cíntia, mas vou ficar 40 minutos no banho?” Não, amor. Começa o banho lavando a cabeça, tira o excesso de água, passa a sua máscara e continua o banho. Você não passa uma bucha nesse corpo? Não lava as partes? :o) :o) :o)

Tirou o creme. Vai secar o cabelo de novo com a toalha e passar o condicionador. Se condicionar o cabelo cheio de água você vai jogar dinheiro no ralo. Por isso algumas dizem que o produto não faz efeito. E não vai fazer mesmo com o cabelo encharcado.
Não quer ter trabalho? Vai no salão. Eu tô lá pra fazer isso. :o)


Aí tirou. Nada de fazer turbante. Pode até fazer, mas depois. A toalha é felpuda pra remover as células mortas. Porque a nossa água vem cheia de calcário, vem cheia de coliformes fecais, vem cheia de metais pesados e a toalha é exatamente pra você tirar. Porque é uma coisa que você não vê. Você só vê quando pega um scanner que aumenta 250 vezes. Você vê uma família vivendo na sua cabeça. Aí você vai secar esse couro com a toalha, sem esfregar porque não é calça jeans, não está no tanque. É apertando, sem atrito. Ele já tem atrito demais. Você pode fazer o turbante, mas se você tirar muita umidade, você vai usar mais creme pra finalizar. Então é melhor deixar o couro bem enxuto e o cabelo úmido, mas sem estar pingando, aquela coisa horrorosa. :o) :o) :o)

Finalizando... Eu gosto sempre de passar uma proteína ou um colágeno, ou um ativador de cachos, um óleo que pode ser o de Argan, um extraordinário, um óleo de lavanda (que ela usou muito quando era mais nova), pode ser o que você tiver condições. Mas não pode sair com o cabelo crespo ao vento. Esse cabelo vai crescer. Precisa de algo para dar forma, domar.
Se você não der nada ele não vai pular no seu RD Protein, no seu tratamento de cachos. Não gosta do volume, tem que usar um tipo Óleo relax, um Óleo Slim.

No final do dia a ponta perdeu a forma? Passa um óleo, não é pra emplastrar. É pra ter carinho. Afofar, pra trazer aquele brilho, usar um spray de brilho. Eu sou a favor de tudo. Está com tempo? Não usa só um hidratante. Usa um reconstrutor. Você compra numa Tonicha (loja de produtos para cabeleireiros) da vida um kit de tratamento. Vem o shampoo, o reconstrutor, um hidratante e um finalizante. Não tem mistério.

Eu Sou Crespa E é só seguir as instruções?
Cíntia É só seguir. Compre de acordo com o seu tipo de cabelo. É crespo, vá na linha para secos. 

Eu Sou Crespa Nossa! Muita informação. Vamos para o outro assunto.
Cíntia Vamos!
Cíntia Araújo é Cabeleireira e Terapeuta Capilar.
Trabalha no Care Body & Soul, no Rio de Janeiro. 
Endereço: Rua Barão de Jaguaripe, 289
Bairro: Ipanema
Telefone: (21) 3813-0560





Compartilhe:

Sobre a Crespa

Claudia Montelage é cantora, botafoguense, libriana, sócia da Dois Versos e desde de 2012 pilota o blog "Eu Sou Crespa". Resenhas, tendências, transição, indicação de salões e profissionais, exemplos reais, aceitação e valorização do cabelo natural fazem parte dos temas abordados nesse espaço dedicado aos cabelos crespos e cacheados.!

18 comentários:

  1. Meu Deus! Entrevista perfeita! Vou seguir todas as dicas!!

    ResponderExcluir
  2. Nooooooooooooooooooooooooossa!
    Incrível!

    Não vejo a hora de ler a próxima parte! Muito obrigada por compartilhar!

    ps: amei a "edição" do post. Me senti no bate papo também, tomando uma cerevejinha gelada e aprendendo mais sobre cabelos! ;)

    ResponderExcluir
  3. Adorei, adorei, adorei!!!
    Eu já faço muitas coisas que ela disse, exceto na parte do condicionador que, como a maioria, sempre aplica debaixo do chuveiro :-p.
    Será que ela viria para São Paulo palestrar para as cacheadas de plantão?
    #FicaDica

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. E eu ! Ja' quero ir agora pras lojinhas de produtos aqui !

    ResponderExcluir
  5. Valeu cada palavrinha, com certeza vou seguir as dicas!

    ResponderExcluir
  6. Caracaaa!!! Muito bom! Aprendi muito, principalmente sobre a parte da quantidade da aplicação do shampoo e a forma correta de condicionar os cabelos.Estou ansiosa pela próxima, já que estou com muita queda.Bjs

    ResponderExcluir
  7. noooooossa!!!!!!!!!!!!! fazia tudo errado e ainda queria q os cachos ficassem maravilhosos e já estou anciosa para o próxomo post.... bjkkks no <3

    ResponderExcluir
  8. Carla, a Cintia fala alguma coisa sobre no-poo?

    ResponderExcluir
  9. Matéria super exclusiva. Aprendi muito. Tem dicas aí que nunca tinha ouvido ninguém comentar. super bacana.

    ResponderExcluir
  10. Entrevista mto interessante! Estou ansiosíssima para a segunda parte! =)
    Esperei 3 anos para que toda a química do meu cabelo saísse. Agora, quero muito aprender a lidar com ele em sua forma natural =) Até agora, não consegui. Não consigo usá-lo solto, queria muito saber domar tanto volume. E ele tb é um pouco ressecado =/

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Entrevista perfeita !!!! Parabéns. Muita informação necessária. Adorei

    ResponderExcluir
  12. achei a entrevista muito boa. Mas nao curti essa de "nao pode sair com o crespo ao vento" eu posso fazer o que eu quiser com o meu crespo, bebê que ele vai continuar lindo kkkkkkkkkkkkk Acho que é normal de pessoas que trabalham com cabelo colocar certas limitações em busca do "perfeito", mas essas limitações podem ser perigosas no sentido social/estética.
    Eu sei que meu cabelo é muito facilmente mutável. Ele reage bem a tudo, mas isso não precisa ser "feio". O frizz que tanto falam mal vira e mexe fica na moda. Quando falamos de saúde todo cuidado é pouco realmente, mas isso é com todos os tipos de cabelo, cada um com suas especificidades.


    PERGUNTA: usar condicionador silicone free no lugar do creme de pentear faz mal ao couro cabeludo?

    ResponderExcluir
  13. Meu cabelo é cacheado, e não é seco. A raiz é oleosa, mas o comprimento do cabelo não é seco e nem oleoso...
    Na outra parte da entrevista ela fala sobre oleosidade? curiosa pra ve!!!

    Bj Crespa!!

    ResponderExcluir
  14. Caraca! Me deu uma vontade louca de lavar o cabelo.
    E uma vontade de ter a Cíntia em minha vida!!

    ResponderExcluir
  15. Ultimamente, meu cabelo só ta segurando no dia da lavagem no outro dia já tá sem forma!

    ResponderExcluir
  16. Nossa, ainda tenho muito a aprender mesmo...

    ResponderExcluir
  17. Muito interessante! Mas a beleza interior é tb aqui, literalmente, mais importante. A "máquina" deve estar saudável, bem nutrida, equilibrada. Os nutrientes são essenciais para uma pele e cabelos sadios. Estado emocional e interferências externas (do meio ambiente em geral # poluição do ar, água, alimento etc). Díficil tarefa no mundo moderno, sair ileso desses danos todos. Xampus, condicionadores, cosméticos em geral vão remediando e maquiando...#prontofilosofei! Bjos!

    ResponderExcluir

Obrigada por participar!
Em breve seu comentário será publicado.