Volume sem medo

Desde que comecei com essa piração de deixar o meu cabelo digno, percebo os tipos de cabeleira crespas e cacheadas que passam por mim.


O que mais me chama atenção é o pavor do volume que a grande maioria tem. Ou estão totalmente disformes leves e soltos, definição zero, no melhor estilo libertário ou com a raíz chapada no crânio, creme até a alma, com aquela linha divisória, certinho, sem 1 fio fora do lugar. Cabelo que acho compacto. 
E o que mais me deixa boba? A maioria com potencial para ter uma cabeleira linda! 


Nem vou usar exemplos de fora porque, como vocês já sabem, passei pela maioria das fases capilares.  Por isso, vamos lá.

Vamos a mais uma revelação de derrota. Preparadas?
Devagar, gente.

Fase que chamo de libertária, assumido, mas cabelo qualquer nota. Cadê definição?

Nesse caso, pós libertação de química, fase 1, perdida do que fazer. Fuáááá danado, mas liguei o "sou assim" e bora chocar o mundo.

Já nesse caso...

Tive que revirar o baú para achar essas.

Pra quem achou que o cabelo nas 2 fotos acima, tá legal, vamos rever os conceitos. 
Esse exemplo era a minha fase de cabelo compacto, penteado após lavar, não divididinho, mas com creme até a alma e adestrado pra não subir 1 milímetro da área permitida. Tocar no meu cabelo era levar uma recordação sebenta de muito creme. 
Ou ele ficava assim ou preso. Nesses dois exemplos o meu cabelo estava SECO! Acreditem ou não. Geralmente eu terminava o dia/noite, com um rabo de cavalo porque as pontas se rebelavam e aumentavam de volume.

Foi nessa época que usei guanidina e logo após, o super relaxante do Beleza Natural (salão aqui do RJ, especializado em cabelos crespos e cacheados). 

Até que um dia, um amigo (claro!), veio me falar que meu cabelo era engraçado. Lambido na  raíz e volumoso nas pontas. 
Depois de alguns meses ruminando a ideia, criei coragem e resolvi fazer a raíz levantar. Medooooooo, mas fui aos poucos. Ficou bem melhor porque a proporção do cabelo com o rosto harmonizou.  

Iniciando timidamente, beeem timidamente o movimento de soltura da raiz e comprimento pós corte radical.
 Cabelo aqui ainda com muita química.

Foi nessa fase, com a raiz natural, que comecei o tratamento que falo aqui. 


Como uso o cabelo atualmente.

Alguns exemplos glamourosos de cabelos com a raiz volumosa.



Um luxo só!
Alguns exemplos estão finalizados com baby-liss, eu sei. Mas olhem como a proporção da raiz com o rosto fica tuuuuudo!

Meu conselho?
Crespinhas, libertem-se! ;0)

Receita? Hidratação + ótimos finalizadores + bater o cabelo + amassar + soltar a raíz + uma pitada de ousadia e assim, quem sabe, vislumbrar o caminho da libertação.


Compartilhe:

Sobre a Crespa

Claudia Montelage é cantora, botafoguense, libriana, sócia da Dois Versos e desde de 2012 pilota o blog "Eu Sou Crespa". Resenhas, tendências, transição, indicação de salões e profissionais, exemplos reais, aceitação e valorização do cabelo natural fazem parte dos temas abordados nesse espaço dedicado aos cabelos crespos e cacheados.!